Certificações



A Cisol do Brasil foi fundada em 2014, em Artur Nogueira, localizada na região mais famosa pela citricultura do estado de São Paulo. O desenvolvimento da citricultura é beneficiado pelas características de solo, relevo, pluviométricas e climáticas da região[1].

Além da localização estratégica, o cuidado com a qualidade dos produtos e a preocupação com a segurança dos clientes e consumidores, permitiram à Cisol do Brasil um excelente desenvolvimento como produtora de sucos concentrados, sucos integrais e subprodutos da laranja (Citrus sinensis) e do limão (Tahiti e Siciliano).

Tal preocupação com a obtenção de produtos de alta qualidade faz com que a empresa utilize apenas matérias primas de alto padrão, que são processadas de forma controlada, visando à obtenção de produtos seguros, ou seja, “produtos que não causem danos ao consumidor quando preparados ou consumidos de acordo com seu uso intencional” [2].

Nesse contexto, a Cisol do Brasil compreende e apoia a necessidade de certificações dentro do setor alimentício e, por esse motivo, já conta com Certificado Kosher, HACCP, Orgânico USDA e Orgânico EU.

O Certificado Kosher, mundialmente reconhecido, foi obtido pela empresa em junho de 2014 e atesta que os produtos da Cisol do Brasil obedecem rigidamente às normas específicas que regem a dieta judaica ortodoxa. Tal certificado é um sinônimo de controle máximo de qualidade [3].

No início de 2015 a empresa conseguiu também o Certificado HACCP, visando atender a legislação estabelecida pelo Codex Alimentarius. O Codex Alimentarius, cujo significado é Lei ou Código dos Alimentos, é um conjunto de normas relacionadas à manipulação, processamento e segurança de alimentos. Tais normas são adotadas internacionalmente e incluem códigos de práticas, diretrizes e outras medidas importantes para a obtenção de produtos seguros [2].

O sistema HACCP (ou APPCC, como também é conhecido no Brasil) é, segundo o Codex Alimentarius, um “sistema que identifica, avalia e controla os perigos significativos para segurança dos alimentos”, baseado em 7 princípios: [2]

A rigidez e detalhamento de tal sistema fazem do Certificado HACCP um importante comprovante da qualidade e da confiabilidade dos produtos da Cisol do Brasil.

Outro diferencial da empresa é a produção de alimentos orgânicos. A produção orgânica, caracterizada pela ausência de agrotóxicos, adubos químicos ou substâncias sintéticas, é muitas vezes associada à melhoria na qualidade de vida dos consumidores e também à proteção ao meio ambiente. Um processo produtivo é considerado orgânico quando utiliza de forma responsável o solo, a água, o ar e os demais recursos naturais envolvidos [5]. O Brasil já ocupa posição de destaque na produção mundial de orgânicos, e a Cisol do Brasil está entre as empresas produtoras, contando com duas certificações: Orgânico USDA (United States Department of Agriculture/ Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) e Orgânico EU (European Union/União Européia), prezando por dois conceitos fundamentais: a relação de confiança entre produtor e consumidor e o controle de qualidade [6,7].

Além de todas essas certificações, a Cisol do Brasil também é reconhecida pela Sedex – Empowering Responsible Supply Chains, entidade dedicada ao implemento de melhorias nas cadeias de suprimento globais, incentivando práticas de negócios responsáveis e éticas. Esse reconhecimento mostra a sintonia entre os princípios da Sedex e da empresa, que entende a importância do sucesso de todos os elos para que toda a cadeia de suprimentos prospere.

Com todo o trabalho desenvolvido, as certificações obtidas e a constante busca por melhorias, a Cisol do Brasil conquistou também seu lugar como membro do grupo SGF (Sure Global Fair), que monitora e incentiva a padronização da qualidade e da segurança de sucos de frutas.

Com tantos cuidados e número crescente de certificações, a Cisol do Brasil tem como objetivo criar um vínculo de confiança, respeito e total transparência com seus clientes, oferecendo a eles produtos de qualidade e totalmente seguros.

[1] “Dados de Artur Nogueira”. Disponível no site: www.arturnogueira.sp.gov.br. Acesso em 09 de abril de 2015.

[2] “Codex Alimentarius: Segurança dos Alimentos – Textos Básicos”. Disponível no site: http://www.anvisa.gov.br/divulga/public/alimentos/codex_alimentarius.pdf. Acesso em 09 de abril de 2015.

[3] “Kosher”.  Disponível no site: http://www.bckosher.org/. Acesso em 10 de abril de 2015.

[4] ALVARENGA, A. L. B.; TOLEDO, J. C. “Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controle (APPCC) como sistema para garantia da qualidade e segurança de alimentos: estudo de caso em uma pequena empresa processadora de bebidas.”, 2007. Disponível no site: http://www.gepeq.dep.ufscar.br/arquivos/Artigo%20PGQ%20APPCC%20mod%20dez%202007.pdf. Acesso em 10 de abril de 2015.

[5] Ministério da Agricultura do Brasil. “Orgânicos”. Disponível no site: http://www.agricultura.gov.br/desenvolvimento-sustentavel/organicos. Acesso em 11 de abril de 2015.

[6] “USDA – Organic Agriculture”. Disponível no site: http://www.usda.gov/wps/portal/usda/usdahome?contentidonly=true&contentid=organic-agriculture.html. Acesso em 11 de abril de 2015.

[7] “EU – Organic Certification”. Disponível no site: http://ec.europa.eu/agriculture/organic/organic-farming/what-is-organic-farming/organic-certification/index_en.htm. Acesso em 11 de abril de 2015.